Blog

Médicos sem Fronteiras parabeniza o município pelo enfrentamento a Covid-19


“Vocês tem o melhor sistema de saúde que vimos aqui no Brasil”. Esta foi à frase dita pelo Coordenador Médico do MSF (Médicos sem Fronteiras), Mohammed Ali, e reforçado pelo Coordenador de Emergência dos Médicos sem Fronteiras, Fábio Biolchini, referindo-se ao enfrentamento a Covid-19 em nosso município.

A equipe dos Médicos sem Fronteiras (MSF), esteve na manhã de hoje, 28, participando de uma reunião com o Secretário Municipal de Saúde, Gilberto Laranjeiras, com o Secretário Adjunto de Saúde, Paulo Vilarinhos, com a Diretora da Vigilância em Saúde, Michele Ferreira, com a Diretora de Regulação, Nhirly Brito e da Supervisora de Enfrentamento da Ameaça do Covid, Anna Carla. O objetivo da visita foi conhecer um pouco da realidade do município e saber como ele vem enfrentando a pandemia do novo Coronavírus, para uma possível parceria entre Secretaria Municipal de Saúde e Médicos sem Fronteiras (MSF).

“Emocionante e satisfatório ouvir o reconhecimento de uma organização que atua em mais de 70 países e que já recebeu o Nobel da Paz, e que considera importante a nossa luta em salvar vidas nesta pandemia que vem assolando o mundo. O prefeito Darci Lermen vem buscando incansavelmente recursos e parcerias para que os munícipes de Parauapebas tenham cada vez mais um atendimento humanizado e eficaz”, ressaltou o Secretário de Saúde, Gilberto Laranjeiras.

O gestor da saúde explicou que com a chegada da pandemia do novo coronavírus ao Brasil e a rápida expansão dos casos, o MSF mobilizou um volume inédito de recursos humanos e materiais em nosso país e conseguiu iniciar atividades direcionadas ao atendimento das populações mais vulneráveis: pessoas em situação de rua, migrantes e refugiados, indígenas, usuários de drogas e idosos. Atualmente os estados contemplados com a ajuda dos Médicos sem Fronteiras são: São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Roraima, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Rondônia.

Texto: Luciana Queiroz – Ascom/PMP

Foto: Luciana Queiroz – Ascom/PMP

Deixe um comentário

Trabalhador de saúde, indígenas e quilombolas 17 de janeiro
Acima de 90 anos 08 de fevereiro
Entre 85 e 89 anos
Entre 80 e 84 anos
Entre 77 e 79 anos
Entre 75 e 76 anos
Entre 72 a 74 anos
Entre 69 a 71 anos